Saltar para o conteúdo

Martin Gore

Martin GoreMartin L. Gore ( guitarrista, cantor e tecladista)
Martin nasceu a 23 de julho de 1961 em Dagenham em Essex, na Inglaterra, ele é o mais velho das duas meias irmãs, Karen e Jaqueline. Martin mora em Basildon e é o principal autor e compositor de Depeche Mode.

Embora Dave Gahan seja o cantor carismático do grupo, Martin também canta, mas ele é principalmente um guitarrista e tecladista.

O inicio
Martin Gore deixa a escola St Nichola's Comprehensive School en 1977 para trabalhar num banco. Entretanto, ele está envolvido no grupo Norman and the Worms. Em 1980, Andrew Fletcher que fundou o grupo Composition of Sound com Vince Clarke solicita Martin para se juntar a este grupo. Martin aceita e o grupo foi renomeado Depeche Mode após a chegada de Dave Gahan.

Martin Gore, é a verdadeira alma do grupo desde 1981, compositor de quase todas as musicas (com exceção de algumas partes do álbum "Playing The Angel" e "Sounds of the Universe", composta por Dave Gahan e algumas faixas co-escritas com Alan Wilder). Guitarrista (assumido do Exciter Tour 2001), é também tecladista e é a segunda voz do grupo, uma voz subtil, que pontua e dá uma grande profundidade à voz de Dave Gahan. Em cada álbum e concertos do grupo, ele realiza duas ou três canções em solo. A voz de Martin de tipo angelica contrasta bem e vem dar uns tons suaves à musica de Depeche Mode.

Autor e Compositor
Na escrita e composição, Martin Gore trabalha geralmente sob pressão, quando um álbum está planejado. As inspirações vêm do seu subconsciente em observar o mundo ao seu redor. Os temas nas suas canções relatam: dor, sexo, religião, vicio, relações com os outros...

Os seus textos continuam sempre a conquistar o público de Depeche Mode. Enquanto muitos consideram as suas letras musicais escuras, ele nega. Para ele, há sempre uma nota de esperança, um segundo grau ou uma nota de humor que o público nem sempre capta. As suas preferencias e influências musicais são: rock, country, folk, électro alemão e o gospel.

No álbum Playing The Angel, pela primeira vez, ele admite que três canções sejam compostas por Dave Gahan, (Suffer Well (single), Nothing Is Impossible e I Want It All). Em geral, as letras deste álbum são de uma maturidade na observação do mundo: confissão, auto fraqueza humana, a culpa, auto-consciência, a condenação do integrismo religioso (John The Revelator) e uma canção "Precious" dedicada aos filhos de Martin após o seu divórcio.

Discreto e excentrico
Muito tímido quando era um jovem aluno estudioso, disciplinado, a personalidade de Martin Gore revelou-se no grupo de Depeche Mode.
Depois das missas do domingo, descobre novos prazeres nos clubes underground de Berlim (cidade onde viveu vários anos em meados dos anos 80) e Londres, drogas, conquistas amorosas, álcool...
A excentricidade de Martin Gore é refletida nas suas roupas que deu muito que falar na imprensa Britanica (década de 80), meia arrastão, batom vermelho, saia, shorts de couro, lingerie de renda, casacos de couro, colares, estilo de cabelo crespo e tingido, andrógino, um gosto estético.

Mas ele confessou, que é para fazer reagir e chocar a Inglaterra conservadora e machista. Muitos diziam que ele era bissexual, coisa que Martin denunciou: ele sempre foi atraído por e sempre por mulheres!

Reservado por natureza, Martin Gora detesta acima de tudo, nas entrevistas, não gosta de falar sobre ele nem dos excessos do passado e de sua privacidade.

Carreira paralela
Em 1989, Martin Gore lançou o seu primeiro álbum inspirado em reproduções de canções que ele gosta particularmente (The Velvet Underground, David Bowie et Iggy Pop, John Lennon, David Essex, Nick Cave, etc.) :  Counterfeit 1.

Em 2003, Dave Gahan lança o seu primeiro álbum em solo e logo a seguir Martin aproveitou esse evento para gravar o seu segundo álbum intitulado Counterfeit 2.

As músicas são reinterpretadas num estilo de fundo electro despojado, piano ou guitarra. As músicas que ele reproduz têm uma grande influência no processo artístico de Depeche Mode.

albuns de Martin GoreAs suas reproduções em solo com Depeche Mode

* Speak and Spell (1981) - Any Second Now
* A Broken Frame (1982) - Shouldn't have done that
* Construction Time Again (1983) - Pipeline
* Some Great Reward (1984) - It Doesn't Matter, Somebody
* Black Celebration (1986) - Black Day (face B), Breathing in fumes (face B), A Question of Lust, Sometimes, It Doesn't Matter Two, World Full of Nothing
* Music for the Masses (1987) - The Things You Said, I Want You Now, Route 66 (face B)
* Violator (1990) - Sweetest Perfection, Blue Dress
* Songs of Faith and Devotion (1993) - Judas, One Caress, Death's Door (face B)
* Ultra (1997) - Home, The Bottom Line
* Exciter (2001) - Comatose, Breathe
* Playing the Angel (2005) - Macro, Damaged People
* Sounds of the Universe (2009) - Jezebel, The sun and the moon and the stars (bonus track)


Martin Gore and Alan Wilder playing piano on "Somebody" London @ Royal Albert Hall 2010.02.17